quinta-feira, 23 de março de 2017

Moradora de Artur Nogueira revela livro escrito por avô que dizia ter sido abduzido por ETs

Texto escrito nos anos 70 por Samuel Freire relata existência de novo planeta e profecias para o Brasil.
Por Isadora Stentzler
Gabriela Freire Trombetta Calheiros foi a única da família Freire a vir para Artur Nogueira. A professora que mora hoje no bairro São Vicente, era a neta favorita de seu Samuel Freire, por isso guardou um tesouro deixado pelo velho: um livro sobre o planeta Argêoton que ele afirmava ter visitado em setembro 1973. “Ele sumiu por uma semana e quando voltou, trancou-se em um quarto e não saiu até que escrevesse tudo.” São 568 páginas escritas a mão com profecias sobre o Brasil a partir da década de 90. Algumas, curiosamente, teriam se cumprido.
Diz-se que o fato aconteceu assim: às 10h30 de uma sexta-feira do mês de setembro de 1973, num local em que já havia acontecido diversos casos inexplicáveis, seu Samuel havia levado uma turma de trabalhadores para a cidade de Frutal (MG). Na sua volta, à meia-noite, quando passava no local fatídico, foi interceptado por um extra terrestre que lhe levou para uma nave espacial. O destino era visitar Argêoton, o ‘Planeta Dourado’, que ficava na segunda galáxia do Universo a 2.592.000.000 de quilômetros de distância. Na nave ele teria feito amizade com a recepcionista, uma socióloga, e com toda a equipe da tripulação. Ainda participou de uma ceia familiar, “tradição dos deuses do universo”.
DSC_0383
O livro conta com detalhes a experiência. Ao chegar na nave Samuel teria passado por uma cirurgia em que foi mexido na parte do cérebro que responde pela memória, para não esquecer das experiências vividas durante a viagem, e teria sido nomeado embaixador da Terra.
O primeiro alienígena, aquele que lhe conduziu à nave, é descrito como uma fera de olhos azuis faiscantes, capacete com antenas nas cores verde e vermelha e 1,65 de altura – tamanho padrão de todos os moradores de Argêoton. Ele vestia um macacão e por cima dele um manto cheio de escamas nas cores verde e marrom.
“Hoje escrevo tudo com a máxima naturalidade e relato os fatos sem fantasias. Vejo que depois de tudo o que passei e senti, se não tive um colapso, é porque fui escolhido para aquela grande missão. A qual estou descrevendo, após alguns meses passados, mesmo sabendo que hoje é sete de janeiro de 1974 e somente depois de vinte anos poderei fazer a divulgação desta super aventura vivida por mim.”
Todos estes relatos estão na obra. Lá Samuel escreveu que os alienígenas lhe pediram segredo por 20 anos e que o caso fosse revelado só a partir de 1993.

A família que soube de tudo, ainda se divide, ri, duvida, mas acredita que algo tenha acontecido com o Samuel. “Desde que me conheço por gente conheço essa história”, conta a neta Gabi, que hoje tem 27 anos. “Não posso dizer se isso aconteceu ou não, mas o que eu sei é que foi uma verdade muito grande para ele. Sempre que ele recontava a história para alguém mantinha os detalhes. Não mudava nada.”
Seu Samuel morreu em 2008, aos 73 anos. Na casa dele, a neta conta que haviam várias réplicas da nave, coisa que ele fazia com sucata. A abdução teria acontecido na chapada de Planura. Devido ao pedido dos alienígenas a história só veio à tona em outubro de 1993, quando ele já vivia em Poços de Caldas (MG).
Os jornais da cidade divulgaram o caso:
DSC_0387
DSC_0393
DSC_0390
DSC_0389
Na época Samuel foi em lan houses para que os manuscritos fossem digitados e cópias do livro fossem entregues à população.
Mas o que sempre marcou Gabriela era que seu Samuel frisava: “Vou levar essa história ao máximo de pessoas possíveis.”
Na obra chamada ‘Argêoton o Planeta Dourado’, Samuel transcreveu diálogos inteiros e ainda apontou os conselhos dados pelos alienígenas. Ele se questiona no início do livro: “Eu, um homem de 39 anos, casado, pai de quatro filhos, de profissão motorista, somente com curso ginasial. O que realmente eles querem de mim?”
Nos relatos ele fala da rotina do planeta, alimentação e aspectos políticos. São descritos muitos robôs e uma tecnologia muito à frente da que o Brasil possuía na década de 70.
Entre as conversas se sobressaltam profecias para seis estados brasileiros e a missão de Samuel: ‘Você vai mostrar que potência não é ter dinheiro, não é escravizar pequenas nações, não é ter estoque de armamento para destruir a casa do seu vizinho. Potência para nós é ter para dar. É ajudar e amar, é respeitar o direito do cidadão por mais simples que ele seja, é ter Deus em nossos corações e não levá-lo amarrado numa cruz pelas ruas e depois jogá-lo em qualquer lugar nas igrejas”.
Em vários outros trechos os alienígenas teriam confirmado a existência de Deus, além de criticar o egoísmo humano: “Será possível que eles [humanos] possam pensar que o pai universal criou tudo o que eles veem em cima de suas cabeças somente para enfeitar o planeta terra?”.
Nas profecias escritas em 70 é dito que São Paulo seria um estado que sofreria com enchente e alto grau de população. Além disso teria um número preocupante de desempregados e uma super lotação de criminosos. A cidade de São Paulo também teria problemas com saúde devido ao calor e poluição. Os alienígenas imploraram que Samuel levasse a mensagem às autoridades pois, de acordo com os relatos, se não fosse feito algo a situação pioraria depois do ano de 1997.
O Rio de Janeiro seria palco de grandes violências. “E seu exército terá de invadir, a fim de acabar com os celeiros de drogas”, diz trecho. Minas Gerais começaria a sofrer pelo insuportável calor, além de ser palco para grandes lutas fazendárias. Bahia, disseram, deve grande tributo a Deus e Seu filho. O Amazonas, também foi citado nos escritos como profecia. E Ceará, que fica de frente à Argêoton, é um lugar em que “o povo deve se unir e exigir providências de açude, poços artesianos e transporte de água.
Uma das profecias que saltam os olhos é a de que o Brasil seria palco em 1992 de um grande evento de ecologia, ano em que ocorreu a Rio-92. E a revelação: em três planetas do sistema solar existem vida, ar, rios, matos e vulcão. Não é citado o nome dos planetas.
“Hoje sua geração está destruindo tudo. Seus rios não tem mais peixes e suas águas estão contaminadas. Suas experiências nucleares abalam o eixo da terra provocando vendavais, maremotos e terremotos. Vai chegar um momento em que as nações não aguentarão o calor, uma delas é a sua. Aqui [Argêoton], a vida é sagrada. Ninguém pode tirar a vida de um ser”, frisaram os alienígenas.
Gabriela diz que as mensagens são lindas. Mesmo seu avô tendo pouca escolaridade escreveu muito bem a história. “Pode ter sido um trauma, algo que ele passou e escreveu dessa forma. Não sei. Nunca o julguei. Mas o que se fala é que ele realmente sumiu por uma semana e voltou avoado, preocupado e depois escreveu.”
http://nogueirense.com.br/moradora-de-artur-nogueira-revela-livro-escrito-por-avo-que-dizia-ter-sido-abduzido-por-ets/

Guia básico da astronomia amadora

O céu é para todos: reunimos 20 dicas para você dar os primeiros passos
15/03/2017 - Assine já!
OUÇA A REPORTAGEM
 (Foto: THOMÁS ARTHUZI)(FOTO: THOMÁS ARTHUZI)
Graças a Carl Sagan, a astronomia chegou de modo didático no lar de milhares de pessoas ao redor do mundo. Leia nosso especial sobre a vida do mestre, clicando aqui. Inspirada nele, a GALILEU criou este guia que dá um panorama geral do que você precisa fazer e conhecer para dar os primeiros passos.
Mas antes de começar a ler as dicas numeradas abaixo, decore os nomes das coordenadas astronômicasusadas para determinar a posição dos astros. Astrônomos não dizem, por exemplo, “olhe para cima”. Dizem “olhe para o zênite”.
Leia também:
+ "Papai foi um homem de real decência e caráter", diz filho de Carl Sagan
+ "A resposta para os mistérios profundos pode ser simplesmente: 'Não sabemos'", diz filha de Sagan
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Zênite
Ponto do céu acima da cabeça do observador
Nadir
Ponto do céu na direção oposta à do zênite
Eclíptica
Círculo imaginário que representa a trajetória aparente do Sol e dos planetas na esfera celeste durante o ano.
SISTEMA EQUATORIAL CELESTE
Usado no mundo todo. Suas duas coordenadas, ascensão reta (ar) e declinação (dec), têm a mesma função que a latitude e a longitude no globo terrestre: a combinação das duas é o "endereço" do astro na esfera celeste. Mede-se a ar em horas (de 0h a 24h) e a dec em graus (Equador equivale a 0°, o Polo Sul, a -90°, e o Polo Norte, a +90°).
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Ascensão Reta
Medida sobre o plano do Equador Celeste. A origem é no Ponto Vernal, que marca a posição do Sol no equinócio de primavera do Hemisfério Norte, enquanto a extremidade encontra-se localizada na vertical do astro.
Declinação
É perpendicular ao Equador Celeste (grande círculo imaginário que projeta a Linha do Equador da Terra na esfera celeste). Medida sobre a vertical do astro, com origem no equador e extremidade no próprio astro.
MAPA CELESTE
Veja acima as constelações do Hemisfério Sul. Astrônomos do Norte invejam a riqueza de nossos céus, com visão privilegiada da Via Láctea.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
MOVIMENTO DIURNO DOS ASTROS
Ao longo do dia, todos os astros percorrem no céu arcos paralelos ao Equador em torno do eixo terrestre, no sentido leste-oeste (oposto ao da rotação da Terra). Note como os arcos mudam bastante de acordo com a latitude do observador no planeta.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Observador no equador
Todas as estrelas nascem e se põem (intervalo de 12 horas) em arcos perpendiculares ao horizonte. Constelações dos dois hemisférios visíveis no céu ao longo do ano.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Nos polos
Nenhuma estrela nasce ou se põe: elas permanecem 24 horas visíveis. Descrevem círculos paralelos ao horizonte e as estrelas do outro hemisfério não aparecem nunca.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Em latitude intermediária
Certas estrelas nascem e se põem. Algumas ficam 24 horas acima do horizonte; outras, abaixo. Percorrem arcos no céu com certa inclinação em relação ao horizonte.
DICA Nº 1 - APRENDA A USAR UM PLANISFÉRIO
Nosso planeta orbita o Sol como um pião prestes a tombar, e é por isso que não vemos sempre as mesmas estrelas. A inclinação de 23,5° no eixo de rotação da Terra não apenas cria as estações do ano como também faz diferentes regiões cósmicas transitarem acima de nossas cabeças. “Escorpião é uma constelação típica do nosso inverno, enquanto Órion aparece no verão”, diz Maria de Fátima Saraiva, astrofísica que adora planisférios.
O instrumento é um mapa personalizável do céu que sempre mostra as estrelas com precisão pois se adapta ao movimento do planeta, adequando-se à época do ano e à localização do observador. Nada mais é do que uma projeção plana da esfera celeste com os dias e meses marcados ao redor.
Mas a mágica só acontece ao sobrepor uma máscara com a latitude (distância em graus até a Linha do Equador) de sua cidade, que marque as horas do dia e delimite a janela de céu visível para você. Afinal, a noite estrelada que se observa em Belém do Pará é bem diferente da de Porto Alegre. “Quem mora no Equador vê a mesma quantidade de céu dos hemisférios Sul e Norte”, explica Saraiva.
 (Foto:  )
Saraiva coordenou na UFRGS o projeto de um planisfério para cada região do Brasil. Neste link, é possível imprimir os mapas e as máscaras e conferir as instruções de montagem. “Montando o instrumento, cria-se uma relação afetiva com ele.”
DICA Nº 2 - COMO OBSERVAR SATÉLITES A OLHO NU
Na década de 1990, a Motorola criou uma constelação (sim, o termo é este mesmo) de 66 satélites para fornecer sinal de celular em todo o planeta. Só que uma década antes do iPhone, quase ninguém tinha celular — o projeto Iridium fracassou no mercado. Não na astronomia. Quando passam no ângulo certo, esses satélites refletem tanta luz solar que se tornam um dos objetos mais brilhantes do céu noturno, com brilho quase duas vezes mais intenso que o de Vênus.
“Em termos de distância espacial, eles estão muito próximos de nós”, afirma o astrônomo Marcelo De Cicco, pesquisador do Inmetro. Grandes objetos metálicos como a ISS e o Hubble também podem ser avistados a olho nu. O brilho não oscila como o das estrelas e lembra um pouco o de um avião, mas sem as luzes coloridas. “Eles aparecem como uma bolinha de brilho estável em trajetória retilínea.” Informe-se sobre a passagem de todos esses satélites pelos céus de sua cidade no site Heavens Above. O Spot the Station, da NASA, monitora a ISS.
DICA Nº 3 - O QUE SÃO AS SUPERLUAS
Gloriosas imperfeições estão por toda parte no delicado arranjo da mecânica celeste. Um exemplo é o que ocorre cerca de seis vezes ao ano pelo fato de a órbita da Lua em torno da Terra ser levemente elíptica, e não um círculo perfeito: há momentos em que ela está mais perto que a distância média de 384 mil quilômetros.
Quando coincide com a Lua Cheia ou com a Lua Nova, temos, no jargão astronômico, uma “lua do perigeu-sizígia”. São as famosas superluas. Nessas ocasiões, a Lua Cheia tem um diâmetro aparente 14% maior e um brilho 30% mais intenso do que teria no ponto mais distante. “Claro que impressiona mais quando é Cheia, mas a Nova também é importante”, diz o astrônomo Roberto Costa, do IAG-USP. “Ambas provocam marés mais altas, o que pode ser relevante para as atividades dos pescadores.” Superluas são bons momentos para levar o binóculo a um lugar alto e escuro para admirar as crateras lunares.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
DICA Nº 4 - LOCALIZE OS ASTROS NO CÉU
O Star chart é um dos apps mais famosos para explorar o céu noturno e descobrir o nome dos astros em realidade aumentada. Todas as 88 constelações e os oito planetas do Sistema Solarestão incluídos no catálogo, que conta com 120 mil estrelas de ambos os hemisférios, além de 110 objetos de céu profundo. Avance ou volte 10 mil anos no tempo. Ative o modo noturno para que a vista não fique ofuscada.
DICA Nº 5 - IDENTIFIQUE ESTRELAS NOTÁVEIS
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Sirius
Constelação: Cão Maior
Distância: 8,6 anos-luz
Magnitude aparente: -1,46
Ascensão reta: 6h 45m 9s
Declinação: -16° 42' 58"
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Canopus
Constelação: Carina
Distância: 313 anos-luz
Magnitude aparente: -0,72
Ascensão reta: 6h 23m 57s
Declinação: -52° 41' 45"
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Alpha Centauri
Constelação: Centauro
Distância: 4,3 anos-luz
Magnitude aparente: -0,27
Ascensão reta: 14h 39m 37s
Declinação: -60° 50' 2''
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Antares
Constelação: Escorpião
Distância: 520 anos-luz
Magnitude aparente: 0,96
Ascensão reta: 16h 29m 24s
Declinação: -26° 25' 55''
DICA Nº 6 – BINÓCULOS OU TELESCÓPIOS?
Adquirir produtos astronômicos no Brasil é missão quase impossível. “Enquanto no exterior com us$ 300 se compra um belo instrumento, aqui ele sai por R$ 3 mil”, diz Marcelo De Cicco. O jeito é pedir para alguém trazer dos eua, ou recorrer ao mercado de usados. As principais lojas são de e-commerce, como a Casa do Astrônomo e a Astroshop, representante de duas marcas conceituadas: Celestron e Orion.
Recomendam-se binóculos aos iniciantes, mas De Cicco diz que lunetas ou telescópios com qualidade ótica e abertura entre 70 mm e 150 mm também são uma boa. Mas não mais do que isso. “Se o entusiasta investe em equipamento avançado sem conhecer o céu, acaba tendo a impressão de que a astronomia é chata e difícil.” Contra isso, ele tem uma dica infalível: começar pelo charme do planeta dos anéis. “O primeiro Saturno a gente nunca esquece — é uma gracinha.”
 (Foto:  )BEM-ACABADO E COM ENTRADA PARA TRIPÉ, O BINÓCULO CELESTRON UPCLOSE É IDEAL PARA OBSERVAR A LUA, AGLOMERADOS ESTELARES, GALÁXIAS E TAMBÉM NEBULOSAS. PRÁTICO E POTENTE, O TELESCÓPIO ORION SKYSCANNER POSSUI SUPORTE GIRATÓRIO PARA APOIAR EM MESAS. ESTUDE DETALHES DO RELEVO LUNAR E OS PLANETAS
Binóculo Celestron Upclose 10X50 • Ampliação: 10 vezes • Abertura: 50 mm • Peso: 765 g • Campo de visão angular: 6,8° • R$ 389,20 • gerilu.com.br
Telescópio Orion Skyscanner 100 mm • Tipo: Refletor • Ampliação: 40x-200x Abertura: 100 mm • Peso: 2,8 kg • Distância focal: 400 mm • US$ 300/R$ 1.026 • optcorp.com
SEM PICARETAGEM
Aberturas e ampliações realistas para fugir de ciladas
 (Foto:  )
DICA Nº 7 - COMO ESCOLHER SEU INSTRUMENTO
Binóculos
“Binos” para os íntimos, são ótimos para se familiarizar com as estrelas. O mais indicado para iniciar é o modelo com ampliação de 7 vezes e abertura de 50 mm (7x50), que permite observações incríveis da Lua, de galáxias e de aglomerados estelares. Como o tremor dos braços é um problema, invista em um bom tripé.
Telescópio
Não caia no conto das ampliações milagrosas de 500 ou mil vezes: costumam ser má-fé ou ótica duvidosa que gerará aberrações cromáticas e deformações. Evite lunetas com abertura de 50 ou 60 mm. “Não dá para ver nada, só a Lua e a vizinha”, brinca Julio Lobo, do Observatório Municipal de Campinas.
DICA Nº 8 - PARA ONDE APONTAR AS LENTES
Galileu Galilei ergueu a pequena luneta com 30 mm de abertura em direção às estrelas em 1609 — e mudou para sempre nosso entendimento. Notou crateras na Lua e concluiu que ela não era perfeita como as coisas do céu deveriam ser. Estudando Vênus e Júpiter, fez descobertas contrárias à tradição geocêntrica. “Essas observações podem ser repetidas com qualquer pequeno telescópio de 50 mm e ampliação de 20x”, diz Roberto Costa.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Luas de Júpiter
As quatro maiores luas de Júpiter pareciam meras estrelinhas na luneta de Galileu. Mas observações sistemáticas revelaram que Io, Calisto, Ganímedes e Europa orbitavam o gigante gasoso. O geocentrismo ia perdendo sentido. Encontrá-las é uma experiência emocionante, possível até com binóculos.
Fases de Vênus
Descobrir que Vênus tinha fases como a Lua foi um choque para a Europa seiscentista. “É impossível explicar isso supondo que o Sol gira em torno da Terra”, afirma Costa. O fenômeno ocorre pois a órbita venusiana é mais interna: conforme a posição, vemos o disco de Vênus iluminado ou sombreado.
DICA Nº 9 - TENHA SEU PRÓPRIO PLANETÁRIO
O Stellarium é o programa dos sonhos para qualquer um que ame astronomia. Com código aberto, mostra um céu tão realista que tem sido usado em planetários. Conta com catálogo de 600 mil estrelas e zoom poderoso para “viajar” até os astros, que têm fichas técnicas. Aplique datas passadas ou futuras e explore céus de outros lugares do Sistema Solar. “Programe a hora em que vai ver o céu e imprima para poder estudar as estrelas mais brilhantes e as constelações usando uma pequena lanterna com filtro vermelho, para não ofuscar a visão”, sugere o astrônomo Julio Lobo.
DICA Nº 10 – OBSERVE NEBULOSAS
Nuvens interestelares de poeira e gás ionizado, as nebulosas estão entre os objetos mais interessantes para observar — e o céu do Hemisfério Sul abriga espécimes notáveis. Um dos destaques é a nebulosa escura do Saco de Carvão, formada por moléculas e grandes grãos de poeira que bloqueiam a luz que vem de trás. Daí o negror. Próxima à constelação do Cruzeiro do Sul, é facilmente visível a olho nu ou com instrumentos de baixa ampliação. Outra prata da casa é a nebulosa de Carina, berçário de aglomerados estelares que iluminam o material ao redor.
“Por apresentar estrutura versátil, é um belo objeto a ser observado com binóculos, mas através de telescópios apresenta características ainda mais belas”, diz Marcelo De Cicco. Aproveite o verão para contemplar outro esplendor, pouco abaixo das Três Marias: a Grande Nebulosa de Órion. Visível a olho nu, é um objeto famoso. “Permite que se usem ampliações mais altas, mesmo com aberturas pequenas.”
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Saco de carvão
Constelação: Cruzeiro do Sul
Distância: 600 anos-luz
Ascensão reta: 12h 50m 0s
Declinação: -62° 30' 0''
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Carina (NGC 3372)
Constelação: Carina
Distância: 7,5 mil anos-luz
Ascensão reta: 10h 45m 8s
Declinação: -59° 52' 4''
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Órion (M42)
Constelação: Órion
Distância: 1,5 mil anos-luz
Ascensão reta: 5h 35m 17s
Declinação: -5° 23' 28'''
DICA Nº 11 - ENCONTRE CÉUS ESCUROS
As luzes das cidades impedem que 62% dos brasileiros contemplem a Via Láctea. Pouca coisa além dos astros mais brilhantes como Vênus e a estrela Sirius são visíveis em lugares como São Paulo. “Um bom local para contemplar o céu precisa ser alto, longe de áreas urbanas e de parques industriais com atmosfera poluída”, destaca Saulo Gargaglioni, especialista do Laboratório Nacional de Astrofísica que também indica noites de inverno e sem luar. Estudos apontam que a poluição luminosa ainda prejudica o metabolismo de animais e vegetais.
CINCO ESTRELAS
Cidades brasileiras que se destacam pelo céu estrelado
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
 (Foto:  )
O LADO SOMBRIO DA FORÇA
Postes ineficientes projetam luz para todos os lados, agravam a poluição luminosa e desperdiçam energia
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
DICA Nº 12 - VEJA UMA ESTRELA CADENTE
Chuvas da meteoros são formadas quando a Terra cruza com detritos de cometas ou de asteroides: eles viram estrelas cadentes ao entrar na atmosfera. “Pegue um chocolate quente, um cobertor, ligue o som e aprecie o céu”, sugere De Cicco.
As chuvas de meteoros mais intensas no Brasil em 2017
 (Foto:  )
DICA Nº 13 – CONTEMPLE GALÁXIAS
Ver uma galáxia é emocionante. A vizinha Andrômeda aparece como um pontinho esfumaçado nos céus do Norte, ao contrário das Nuvens de Magalhães, vistas só do Hemisfério Sul. “São pequenos satélites da Via Láctea e têm mais ou menos o tamanho da Lua Cheia, pois estão relativamente próximas”, diz Roberto Costa. Aberturas de 80 mm revelam detalhes como a Nebulosa da Tarântula.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Grande Nuvem
Constelação: Dourado
Estrelas: 30 bilhões
Distância: 163 mil anos-luz
Magnitude: 0,9
Ascensão reta: 5h 23m 34s
Declinação: -69° 45’ 22”
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Pequena Nuvem
Constelação: Tucana
Estrelas: 3 bilhões
Distância: 200 mil anos-luz
Magnitude: 2,7
Ascensão reta: 0h 52m 44s
Declinação: −72° 49' 43''”
DICA Nº 14 - MEÇA A POLUIÇÃO LUMINOSA
O Dark Sky Meter utiliza a câmera do celular para avaliar a qualidade do céu noturno, indicando os objetos visíveis naquele grau de poluição luminosa e quantificando quão poluído está o firmamento. Oferece a possibilidade de enviar os dados para a International Dark--Sky Association, órgão que luta no mundo todo pela preservação da noite escura e estrelada.
DICA Nº 15 – ENXERGUE MAIS LONGE
 (Foto:  )Binóculo Orion Giant - Maior binóculo da Orion, pode até ter duas lentes, mas é potente como um telescópio. O foco é ajustado em cada ocular, o que permite enxergar melhor os detalhes do objeto. Telescópio Celestron Omni - Montagem equatorial inclusa otimiza a observação de objetos de céu profundo ou do Sistema Solar. Revestimento especial transmite até 97,4% da luz, gerando imagens mais nítidas
Montagem equatorial inclusa otimiza a observação de objetos de céu profundo ou do Sistema Solar. Revestimento especial transmite até 97,4% da luz, gerando imagens mais nítidas
Binóculo Orion Giant View 25x100 • Ampliação: 25 vezes • Abertura: 100 mm • Peso: 4,5 kg • Campo de visão angular: 2,5° • R$ 4.370 • casadoastronomo.com.br
Telescópio Celestron Omni Xlt 150 • Tipo: Refrator • Ampliação: 30x-354x • Abertura: 150 mm • Peso: 22,4 kg • Distância focal: 750 mm • US$ 2.250,09/R$ 7.698,49 • bhphotovideo.com
DICA Nº 16 - VISITE OBSERVATÓRIOS E PLANETÁRIOS
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: GREGORY SUJKOWSKI)
AL
Observatório Genival Leite Lima
Av. Fernandes Lima, s/nº, Maceió
Terças, quintas e sábados, 19h30 às 22h
Gratuito
AP
Planetário Móvel Maywaka
Museu Sacaca — Av. Feliciano Coelho, 1.509, Macapá
Sábados, 14h às 17h
Gratuito
BA
Observatório Antares
UEFS — R. da Barra, 925, Feira de Santana
Terças e quintas, 18h às 21h
Gratuito
CE
Planetário Rubens de Azevedo
Centro Dragão do Mar — R. Dragão do Mar, 81, Fortaleza
Sextas a domingos, sessões às 18h e 19h
R$ 10
DF
Observatório da UnB
Fazenda Água Limpa, Vargem Bonita, Quadra 17, Brasília
Segunda a sábado, 8h às 18h (agendamento)
Gratuito
GO
Planetário da UFG
UFG — Av. Contorno, 900, Goiânia
Aos domingos, às 15h30 e 17h
R$ 6
MA
Planetário Móvel da Secti
Itinerante
Informações: planetario@secti.ma.gov.br
Gratuito
MS
Clube de Astronomia Carl Sagan
Casa da Ciência UFMS — Cidade Universitária, Campo Grande
Sextas, 19h. Infos: cacarlsagan@gmail.com
Gratuito
MG
Observatório do Pico dos Dias
Laboratório Nacional de Astrofísica — Bom Sucesso, Brazópolis
Agendamento: gcapistrano@lna.br
Gratuito
PA
Centro de Ciências e Planetário do Pará
UEPA — Av. Augusto Montenegro, Km 3, Belém
Sábados, às 16h e 17h
R$ 5
PB
Planetário da FUNESC
R. Abdias Gomes de Almeida, 800, João Pessoa
Sábados e domingos, às 17h
R$ 4
PR
Observatório Prof. Leonel Moro
Bairro rural de Juruquí, Campo Magro
Primeiros sábados dos meses, 20h às 23h
Gratuito
PE
Observatório do Alto da Sé
Rua Bispo Coutinho, s/nº, Olinda
Terças a domingos, 16h às 20h
Gratuito
RJ
Observatório do Valongo
UFRJ — Ladeira Pedro Antônio, 43, Rio de Janeiro
Quartas, 18h às 21h
Gratuito
Planetário da Gávea
R. Vice-Governador Rubens Berardo, 100, Rio de Janeiro
Sábados, domingos e feriados,
14h30 às 17h
R$ 26
RN
Planetário de Parnamirim
Pq. Aluízio Alves — Av. Castor Vieira Régis, s/nº, Parnamirim
Sábados, às 15h30 e 17h
R$ 4
RS
Observatório da UFRGS
Av. Osvaldo Aranha, s/nº, Porto Alegre
Terças e quintas, 19h às 22h
Gratuito
RR
Planetário Móvel da UFRR
Itinerante
Informações: posfisica@ufrr.br
Gratuito
SC
Observatório da UFSC
Campus Reitor João David Ferreira Lima, s/nº, Florianópolis
Quartas, a partir de 19h
Gratuito
SE
Planetário da CCTECA
Pq. da Sementeira — Av. Oviêdo Teixeira, 51, Aracaju
Terças a sextas, 9h às 12h e 14h às 17h / Sábados e domingos, 14h às 17h
Gratuito
SP
Observatório Municipal Jean Nicolini
Estr. do Capricórnio, s/nº, Campinas
Domingos, 17h às 21h
R$ 4
Planetário Prof. Aristóteles Orsini
Parque Ibirapuera, São Paulo
Sábados, domingos e feriados, sessões às 10h, 12h, 15h e 17h
Gratuito
DICA Nº 17 - ADMIRE AGLOMERADOS ESTELARES
Estrelas socializam como humanos. Os aglomerados podem ser abertos, como a colorida Caixa de Joias, ou globulares, como Omega Centauri, o maior da Via Láctea, que mais parece um vespeiro. São bem observados a olho nu, com binóculos de 10x50 ou telescópios refratores com abertura de 75 mm a 100 mm e ampliação de 30 a 50 vezes. “Ampliações de 80x ou mais, com aberturas acima de 100 mm, podem ser experimentadas em noites ótimas”, diz Marcelo de Cicco.
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Caixas de joias
Constelação: Cruzeiro do Sul
Estrelas: 100
Distância: 6,4 mil anos-luz
Magnitude: 4,2
Ascensão reta: 12h 53m 42s
Declinação: −60° 22' 0''
 (Foto:  )(ILUSTRAÇÃO: MARCUS PENNA)
Omega Centauri
Constelação: Centauro
Estrelas: 10 milhões
Distância: 15,8 mil anos-luz
Magnitude: 3,9
Ascensão reta: 13h 26m 47s
Declinação: −47° 28' 46''
DICA Nº 18 - KIT BÁSICO DE ASTROFOTOGRAFIA
 (Foto:  )Montagem portátil se acopla no tripé da câmera. Basta alinhá-la com o polo para que ela elimine o efeito da velocidade de rotação da Terra e "siga" os objetos.
Canon EOS REBEL T5 + lente 18-55 mm • Resolução: 18 MP • ISO: 100-6.400 • R$ 2.499,99 • loja.canon.com.br
Lente 200 mm f/2.8 • R$ 3.299,99 • loja.canon.com.br
Lente 50 MM F/1.8 • R$ 499,99 • loja.canon.com.br
Tripé Greika WT3710 • Capacidade: 2,5 kg • Peso: 1,1 kg • Altura: 0,55-1,38 m R$ 299,99 • loja.canon.com.br
Vixen Polarie Star Tracker • Capacidade: 3,1 kg • Peso: 0,6 kg (sem pilhas) • Dimensões: 95x137x58 mm Bateria: 2 pilhas AA • US$ 1.024/R$ 3.503,66 • bhphotovideo.com
DICA Nº 19 – COMO FOTOGRAFAR O COSMO
A astrofotografia é uma arte encantadora, pois promove uma conexão profunda com o universo (veja relato do astrofotógrafo Kiko Fairbairn nas próximas páginas). Mais versáteis, lentes fotográficas são indicadas a iniciantes: fotografar com telescópios exige prática. Grandes-angulares abaixo de 50 mm são boas para compor paisagens com a Via Láctea. Fairbairn sugere iso alto (entre 640 e 3.200), diafragma bem aberto (de 2.8 a 6.3), foco no infinito e uma regra para o tempo de exposição: divida a distância focal da lente por 400. Mas como fotos da Lua já exigem outra configuração, o jeito é pesquisar. Invista em controle de disparo remoto e montagem equatorial.
DICA Nº 20 - O MELHOR DO CÉU EM 2017
11 de fevereiro - Eclipse parcial da Lua
A Lua passa pela penumbra da Terra e fica escurecida. Visível em todo o Brasil — pico ocorre por volta das 22h40.
5 de maio - Pico Eta Aquarídeas
Uma das principais chuvas de meteoros do Hemisfério Sul. De madrugada, podem surgir até 60 meteoros por hora.
5 de agosto - Eclipse total do Sol
Visível nos Estados Unidos e parcialmente no Brasil (exceto nas regiões Sul e Sudeste), com pico por volta das 15h30.
13 de novembro - Conjunção planetária
Antes do amanhecer, Vênus e Júpiter estarão muito próximos um do outro no céu (0,3°). Olhe para o leste por volta das 5h40.
5 de dezembro - Superlua
Única do ano, não será das melhores: fica cheia 17 horas antes da máxima aproximação (distância de 357,4 mil km).
Fontes: "Sistemas de Coordenadas" — Depto. de Astronomia da UFRGS (Kepler Oliveira Filho & Maria de Fátima Saraiva; Mapa: Hoshifuru; “Planisférios para o Brasil” — Instituto de Física da UFRGS (coordenação de Maria de Fátima Saraiva); “The 26 Brightest Stars” (Chris Dolan); Banco de dados astronômicos Simbad; Tabela de ampliação e abertura — Marcelo De Cicco; Constelações — “The Constellations” (IAU); valores de entrega e impostos do telescópio calculados pela loja OPT Telescopes para SP; cotação do dólar em 16/11 (R$ 3,42);“The New World Atlas of Artificial Night Sky Brightness” (Science Advances), LNA; Cidades e chuvas de meteoros: Marcelo de Cicco (Exoss Citizen Science) e ON; Sites dos produtos, valores de entrega e impostos calculados pela loja B&H para SP; cotação do dólar em 16/11 (R$ 3,42)
http://revistagalileu.globo.com/Revista/noticia/2017/03/guia-basico-da-astronomia-amadora.html?utm_source=facebook&utm_medium=social&utm_campaign=post

Padre mantinha escondido esqueletos de gigantes no Equador

por Mentor 13/03/2017 |
Padre Carlos Vaca era um sacerdote católico que guardou por décadas os restos de esqueletos humanoides de enorme tamanho. A maioria dos fragmentos ósseos foram desenterrados de um local chamado “Changaiminas” no Equador.
Há incontáveis histórias de incríveis descobertas que têm sido feitas ao redor do planeta, e o Equador é o lar de muitos estranhos achados. Uma das recentes descobertas mais populares é a assim chamada Cidade de Gigantes, que foi encontrada por um grupo de exploradores na selva do Equador. Curiosamente o termo “Changaiminas” significa “Cemitério dos Deuses”.
Além da misteriosa cidade, no passado as pessoas descobriram esqueletos de gigantes em diferentes partes do Equador. Nas regiões do sul do Equador, perto da fronteira com o Peru, foram encontrados todos os tipos de coisas estranhas. De acordo com relatos, os especialistas encontraram ossos e esqueletos que são similares aos dos humanos, exceto muito maiores.

Importante: As imagens que mostram o esqueleto gigante em pé são uma reconstrução dos fragmentos que foram encontrados no Equador na década de 1960, e o esqueleto pode ser visitado no Mystery Park, em Interlaken, na Suíça, desde 2004.
Muitos destes esqueletos e ossos permaneceram escondidos do público em coleções particulares ao redor do globo. Um dos mais famosos guardiões de “esqueletos gigantes” foi o Pe. Carlos Miguel Vaca Alvarado, que guardou, até sua morte em 1999, vários ossos e fragmentos desenterrados de um local chamado “Changaiminas”, no Equador.
O Padre Carlos Vaca era um sacerdote católico, músico, e arqueólogo que descobriu em 1965 – coincidentemente no mesmo ano da expedição de Juan Moricz na caverna Tayos e a descoberta de um mundo subterrâneo – um assentamento arqueológico de esqueletos gigantes que foram mais tarde exibidos em seu museu, localizado em Changaimina, conhecido como “Museo del Padre Vaca”, onde ele mantinha vários objetos que foram descobertos nas terra de propriedade do Sr. Luis Guamán.
A coleção incluía ossos de gigantes, com 7 metros de altura, os quais habitavam o Equador e outras partes da América há milhares de anos.
A coleção também era composta por estranhos utensílios, minerais e compostos de “propriedade mágica” que, de acordo com muitos escritores, explicariam os numerosos mistérios arqueológicos que ainda não foram decifrados.
Alguns dos fragmentos de ossos foram supostamente enviados ao Instituto Smithsoniano para maiores análises. Relatos dos esqueletos e seus paradeiros foram levados ao ar num programa de TV no Equador, pelo renomado diretor Alfonso Espinosa de los Monteros.
Após a morte do Pe. Vaca o conteúdo do seu museu foi saqueado.
Além dos esqueletos de imensa proporção, os pesquisadores descobriram muitos lugares curiosos no Equador. A Cidade Perdida dos Gigantes é um deles.
Abaixo, um artigo no site Earth4All, escrito por Bruce Fenton, sobre uma das descobertas:
Em 2012, um grupo de aventureiros equatorianos foi levado para dentro da selva, a fim de procurar o que tinham visto em uma velha fotografia.
Na primeira tentativa eles se perderam, todavia o destino lhes forneceu um golpe de sorte, e eles encontraram um segundo sítio megalítico, uma estranha plataforma de pedra situada às margens de um pequeno rio. Esparramados no chão da floresta e também na água estavam vários artefatos e objetos de pedra.
Até agora, estes artefatos não foram equiparados a quaisquer culturas conhecidas e, pela maior parte, até mesmo suas funções ainda são um mistério. Logo após, o mesmo grupo lançou uma segunda tentativa para encontrar o muro megalítico em sua foto, desta vez encontrando o sítio.
Graças aos nossos esforços de tornar a população ciente desta incrível descoberta, imagens e vídeo da expedição e de outras que seguiram tem enviado ondas de choque através da comunidade arqueológica mundial. Nenhum especialista foi capaz de oferecer uma explicação para quem poderia ter sido responsável por este sítio, nem quando ele poderia ter sido construído.
Simplesmente, não é razoável pensar que estes sítios foram construídos no interior perigoso de Llanganates; ao invés disso, somente faz sentido presumir que estas estruturas foram construídas numa época em que a selva não estava presente. A questão então é se isto poderia ter acontecido há séculos, ou, muito mais provável, há muitos milênios em nosso passado.
Segue a entrevista com o Pe. Carlos Vaca, mostrando os fragmentos dos ossos, e ele próprio falando sobre o tamanho estimado da criatura humanoide, como sendo 7 metros: https://youtu.be/_3M_f45wpAM
fonte:http://www.ancient-code.com/hidden-history-revealed-7-meter-tall-giant-skeletons-display/
http://contatoufo.com/textos/explicacao-para-o-diluvio-a-partir-de-leituras-enochianas

Alô, extraterrestre? Cientistas afirmam que contato com alienígenas se aproxima

A figura de um extraterrestre em um estacionamento na cidade de Baker, estado norte-americano de Califórnia. Foto de arquivo, 10 de maio de 2015

© AFP 2017/ FREDERIC J. BROWN

Seth Shostak, que é o funcionário do Instituto de Pesquisa de Inteligência Extraterrestre (SETI) na Califórnia, comunicou que nos próximos 10 anos as pessoas conseguirão decifrar os sinais enviados pelos alienígenas.

Segundo afirmou o astrónomo ao jornal The Guardian, o SETI recebe sinais a cada 10 segundos, embora a maioria deles tenha origem terrestre.
"Não parece insensato pensar que não estamos sozinhos no Universo. Se todos estes planetas são completamente estéreis, você é levado a pensar: deve haver algo realmente especial e milagroso na Terra — mas geralmente essas pessoas não são cientistas", disse Shostak citado pelo The Guardian.
Segundo ele, a humanidade tem sistemas muito bons que permitem estabelecer contato com alienígenas. Agora os sinais são recebidos a cada dez segundos graças aos sistemas de rádio avançados.
"Encontrar vida além da Terra seria como dar aos Neandertais acesso ao Museu Britânico; Poderíamos aprender muitíssimo com uma sociedade mais avançada do que a nossa e calibrar a nossa própria existência".
Segundo Shostak, se tal contato for estabelecido, a mídia será a primeira a reagir. Caso os humanos venham realmente a receber um sinal real de seres alienígenas, isso mudaria a imagem global da humanidade sobre o espaço.
https://www.blogger.com/blogger.g?blogID=2436016281926179534#editor/target=post;postID=3523147638905912424

terça-feira, 21 de março de 2017

NASA encontra nave perdida orbitando a Lua

Uma espaçonave indiana que perdeu contato com a Terra há oito anos foi redescoberta orbitando a Lua. Os radares terrestres da Nasa detectaram o sinal da minúscula espaçonave Chandrayaan-1 da Organização Indiana de Pesquisas Espaciais (ISRO), que deixou a Terra em 2008 e foi vista pela última vez em agosto de 2009.
Você pensaria que não seria tão difícil encontrar uma espaçonave que sabemos que está em órbita em torno do nosso satélite, mas é muito mais complicado do que parece. É difícil o suficiente para encontrar com precisão detritos espaciais na órbita da Terra, e graças ao brilho lunar, telescópios ópticos estão fora quando se trata de procurar objetos perdidos ao redor da Lua.
Screenshot_2
Sem mencionar que Chandrayaan-1 tem apenas cerca de 1,5 metros, e isso visto da Terra seria menos do que uma mancha minúscula em torno da Lua.
“Encontrar Chandrayaan-1 exigiu um pouco mais de trabalho de estilo detetive”, disse Marina Brozovic, cientista da NASA.
A equipe primeiro veio com as melhores previsões de onde a Chandrayaan-1 poderia estar. De acordo com onde ela foi vista pela última vez, sua melhor posição era que ela estaria a cerca de 200 km acima da Lua, em uma órbita polar.
Com base nessa estimativa, eles então transmitiram microondas para o pólo norte da Lua, a cerca de 380.000 km de distância, usando uma enorme antena no Complexo de Comunicações do Deep Space da Goldstone da NASA, na Califórnia.
A ideia era que se qualquer espaçonave pequena cruzasse os caminhos dessas microondas, eles seriam capazes de detectá-las – forma similar à maneira que podemos mapear o fundo dos oceanos da Terra com radares.
E foi exatamente isso o que aconteceu – a equipe detectou uma pequena espaçonave cruzando o caminho das microondas duas vezes em cerca de quatro horas, o mesmo período orbital que Chandrayaan-1 estava previsto a ter.
Isso não só significa que podemos ter um melhor rastreamento de qualquer espaçonave no espaço, mas também significa que podemos monitorar melhor quaisquer perigos que dirigem ao nosso caminho. [ScienceAlert]

Alexsandro Mota
Sou natural de Conceição do Coité, na Bahia e atualmente trabalho com a divulgação científica na internet, principalmente nas páginas Universo Racionalista e Mistérios do Espaço.
http://www.misteriosdoespaco.blog.br
http://www.misteriosdoespaco.blog.br/nasa-encontra-nave-perdida-orbitando-lua/

Convite para Reunião Plenária de Ufologia

      Na próxima sexta 31, estaremos retomando nossas reuniões de Ufologia no mesmo local e horário. Ou seja: A partir das 19 horas, na Rua Cel. Diogo Gomes 998, Centro – Sobral-CE. 
As pessoas que gostam do tema, estão convidados. A entrada é franca.
Fone para contato: 88 999210172  88 e 988477189
Abraço a todos.
Jacinto Pereira, presidente do CSPU

sexta-feira, 17 de março de 2017

Há 37 anos, o Brasil parava para recepcionar extraterrestres

O caso, que levou uma multidão de curiosos a Casimiro de Abreu (RJ), ganhou destaque nacional e internacional, inclusive com a vinda de pesquisadores da NASA

A comoção mundial foi tão grande que a NASA, Agência Espacial norte-americana, enviou pesquisadores à região para acompanhar a recepção aos jupterianos - Foto: Divulgação/ NASA
A comoção mundial foi tão grande que a NASA, Agência Espacial norte-americana, enviou pesquisadores à região para acompanhar a recepção aos jupterianos - Foto: Divulgação/ NASA
Há exatos 37 anos, em 8 de março de 1980, o Brasil e o mundo pararam para acompanhar uma recepção de alienígenas em Casimiro de Abreu. Localizada no interior do Rio de Janeiro, a cidade recebeu uma multidão de curiosos para assistirem à chegada de extraterrestres vindos de Júpiter. Juntamente com o primeiro contato, os jupterianos trariam de volta quatro pessoas que haviam sido abduzidas anos antes.
A curiosa história da chegada de discos voadores à cidade foi anunciada ao ´mundo´ por Edílcio Barbosa, mais conhecido como "Mensageiro de Júpiter". A notícia, que mais parecia o enredo de um filme de ficção científica, tinha data e hora marcada para o pouso dos discos voadores e atraiu milhares de pessoas a pacata cidade, que ficaria conhecida pelo caso. Os jupterianos chegariam a Casimiro de Abreu no dia 8 de março, pontualmente, às 5h20 da manhã.
A chegada deles gerou uma enorme expectativa, que atraiu a imprensa brasileira e internacional. O caso teve cobertura em rede nacional, sendo noticiado numa longa reportagem no Fantástico, da Rede Globo, além de diversos telejornais regionais e mídia impressa. A comoção mundial foi tão grande que a NASA, Agência Espacial norte-americana, enviou pesquisadores à região para acompanhar a recepção aos jupterianos. Ao todo, mais 10 mil curiosos foram para a cidade no dia 8 de março de 1980, quase metade da população local que era de aproximadamente 20 mil habitantes.
Como se sabe, os jupterianos nunca pousaram na cidade e frustraram uma multidão que aguardava ansiosamente pelos discos voadores. As milhares de pessoas que madrugaram no local começaram a vaiar Edílcio Barbosa, conhecido como porta-voz dos extraterrestres, e na sequência se iniciou um tumulto, que obrigou o "Mensageiro de Júpiter" a sair escoltado pela polícia militar. Na época, ele alegou que os extraterrestres não pousaram na cidade devido ao grande número de curiosos e que eles haviam transferido a "chegada" para uma cidade vizinha, alguns dias depois. De novo, eles não apareceram no local.
O sucesso do "Mensageiro de Júpiter" foi tão grande, que o caso ganhou recentemente um documentário contando a curiosa história. Chamado de ´Efeito Casimiro´, o curta-metragem dirigido por Clarice Saliby, ganhou prêmios nacionais e internacionais. O documentário foi lançando em 2013, em Nova York, nos Estados Unidos.

Recepção aos Jupterianos

A recepção organizada aos extraterrestres foi digna de um primeiro contato da humanidade com vida fora da Terra. Com a equipe da Defesa Civil do Estado e o hospital local de prontidão, a cidade de Casimiro de Abreu estava em festa para recebê-los. O tratamento VIP oferecido aos jupterianos fez até a prefeitura local instalar um orelhão, um luxo para época, próximo a pisa de pouso.
As homenagens não terminaram por aí. Também foi organizado um passeio em carro aberto pela cidade, um café da manhã para os extraterrestres e o dia se encerraria com um Baile Oficial. Como lembrança da Terra, o então prefeito de Casimiro de Abreu comprou uma enciclopédia com a história da humanidade para presentear os jupterianos.
Dennys Marcel

quinta-feira, 9 de março de 2017

Teoria da Conspiração: O homem nunca pisou na Lua

Segundo uma popular teoria da conspiração, a aterrissagem da Apollo 11 no nosso satélite natural em 20 de julho de 1969 teria sido filmada em um deserto dos EUA. Será?

Por Diogo Antônio Rodriguez
homem-lua ILUSTRA George Schall
Segundo uma popular teoria da conspiração, a aterrissagem da Apollo 11 no nosso satélite natural em 20 de julho de 1969 é pura mentira. Teria sido filmada em um deserto dos EUA. Será?
1) Fotógrafo fantasma
Existem muitas fotos do momento em que os astronautas da Apollo 11 passearam pela Lua, mas em nenhuma se vê alguém segurando uma câmera. Numa das mais famosas, dá para notar no visor de Buzz Aldrin o reflexo de Neil Armstrong e do módulo lunar… mas nada da máquina fotográfica! Mais uma prova de que o evento foi uma armação do governo
2) Porta-bandeira
Os principais indícios da farsa estariam nas fotos e filmagens do evento, feitas pela própria Nasa. Por exemplo: quando um astronauta finca a bandeira dos EUA, ela tremula levemente. E o céu está completamente negro. Como isso é possível, se na Lua não há atmosfera – portanto, sem ar para mover a flâmula ou nuvens para bloquear a visão das estrelas?
+ Teoria da Conspiração: Toda pessoa tem uma cópia maligna no mundo?
+ Teoria da Conspiração: Os EUA fizeram um navio da Marinha desaparecer?
3) Luz e sombra
Na Lua, as sombras são mais escuras do que na Terra, porque há uma única fonte de luz:o Sol. Apesar disso, nota-se que os astronautas não somem quando ficam à sombra do módulo lunar. Em algumas fotos, dá para ver que duas sombras estão indo em direções diferentes. Teriam elas sido causadas por fontes de luz artificiais – como os holofotes de cinema?
4) Bem de levinho
“Segundo Bill Kaysing, autor do livro We Never Went to the Moon, os EUA não tinham tecnologia para mandar o homem à Lua”, explica o jornalista Sérgio Pereira Couto, expert em teorias da conspiração.O próprio módulo lunar da nave Apollo 11 causa suspeitas: se ele pesava 15 toneladas, como poderia ter deixado marcas tão leves no solo arenoso da Lua?
5) Jogo de cena
As peças que compõem o cenário de um filme precisam estar sempre no mesmo lugar, para que não haja erros de continuidade entre uma cena e outra. Para isso, um dos métodos é marcar a posição dos objetos com letras. Pois é isso que se vê numa foto de um dos astronautas próximo ao jipe lunar: uma pedra que claramente tem uma grande letra C estampada
+ Teoria da Conspiração: Michael Jackson foi assassinado?
+ Teoria da Conspiração: Os rastros deixados por aviões podem ser prejudiciais?
6) Digno de Hollywood
Segundo algumas teorias, a missão lunar teria sido filmada pelo cineasta Stanley Kubrick (2001: Uma Odisseia no Espaço) em um deserto dos EUA. Só a areia do deserto, bem molhada, resultaria nas pegadas bem definidas, quase perfeitas, deixadas pelos tripulantes da Apollo 11. No nosso satélite natural, isso seria impossível, pois lá não há água
7) Restos de nada
Ao ir embora de sua aventura espacial, a Nasa deixou um monte de coisas para trás: instrumentos,o módulo lunar Eagle e a famigerada bandeira. Numa noite de lua cheia, tire seu telescópio do armário e mire-o para a Lua. Você não vai conseguir ver nada desse entulho. Nem você nem qualquer observatório conseguem ver os restos da Apollo 11
8) A coisa tava russa
Mas por que os EUA se arriscariam a enganar o mundo todo com uma tramoia como essa? Por causa da Corrida Espacial, um dos aspectos mais competitivos da Guerra Fria. Nos anos 50 e 60, EUA e URSS tentavam provar ao mundo quem era mais avançado. E o Tio Sam estava perdendo a briga: os soviéticos tinham enviado o primeiro homem, Iuri Gagarin, ao espaço
+ Teoria da Conspiração: Há segredos escondidos na Mona Lisa?
+ Teoria da Conspiração: O ataque ao Pentágono em 11/9 foi forjado?
EXPLICANDO A VERDADE
Justificativas racionais para a maioria das suspeitas
– A bandeira tremeu porque o astronauta torceu o suporte onde ela estava
– O módulo não deixou marcas porque pousou suavemente
– As estrelas não aparecem devido à luz que a superfície da Lua reflete,oque explica também as sombras “mais claras” e as fontes de luz difusas
– A marca das botas dos astronautas foi resultado dos grãos finos (como os de solos vulcânicos) que compõem o chão lunar
– É impossível ver os restos porque eles estão longe do alcance de qualquer telescópio,na terra ou no espaço
– A pedra com o C é um erro na revelação do filme ou simplesmente uma armação, adulterada quimicamente
– Os EUA não vão mais a Lua porque não há necessidade: a Guerra Fria acabou, nada lá pode ser explorado comercialmente e as missões espaciais são muito caras
CONSULTORIA Sérgio Pereira Couto, escritor e jornalista
FONTES Sites Nasa, BBC, Time, National Geographic e Washington Post
http://mundoestranho.abril.com.br/historia/teoria-da-conspiracao-o-homem-nunca-pisou-na-lua/

segunda-feira, 6 de março de 2017

A volta dos Vimanas

6 de março de 2017
Ataque de Vimana de "Onda Quantum" advertida em andamento com a Rússia temerosa e sobre " Bomba Tsar"
Um frio relatório do Ministério da Defesa (MoD) que circula no Kremlin hoje afirma que o presidente Putin acaba de autorizar a "rápida reconstrução e implantação" da temida "Bomba Tsar " para ser usada contra uma enorme "Vimana" de 4.0 quilômetros de extensão "Que a partir de sua atual localização no Oceano Pacífico, lançou um ataque de" Onda Quântica "contra a Terra por" motivos e / ou razões "desconhecidos. [Nota: Algumas palavras e / ou frases que aparecem entre aspas neste relatório são aproximações em inglês de palavras / frases russas que não têm contrapartida exata.]

Com 2,5 milhas de comprimento circular "Vimana" atualmente viajando nas profundezas do norte do Oceano Pacífico
De acordo com este relatório, um "Vimana" é um antigo "objeto ar-mar artesanal" de poder inimaginável e possuindo propriedades anti-gravidade cuja primeira descoberta moderna foi feita, em 2010, pelas forças militares dos EUA no Afeganistão e que matou mais de 50 pessoas ao extraí-lo de seu "templo de" ocultação.


Apenas um ano após a descoberta deste antigo "Vimana" no Afeganistão, este relatório continua, outro, mas mais massivo, "Vimana" irrompeu do fundo oceânico Pacífico, em 2011, desencadeando o terremoto de Tōhoku e tsunami no Japão que matou mais de 15.000 - e que em 2013 se estabeleceram nas profundezas do Oceano Pacífico ao largo da costa do Alasca, causando um remendo circular de calor (chamado "blob") que começou como um pequeno pedaço de água e cresceu a 500 milhas (805 quilômetros)e é a anomalia de temperatura maior e mais longa da história.

O "blob" uma anomalia de calor em torno do submerso "Vimana"




Ao atravessar as profundezas do norte do Oceano Pacífico, este relatório detalha, este "Vimana" começou a "desdobrar / ejetar" o que foram descritos como "medusas cósmicas" como objetos que se espalharam até o sul da Austrália - com a primeira fotografia desta "Criatura / dispositivo" sendo liberado ao público por cientistas americanos na semana passada.

Medusa cósmica "criatura / dispositivo" descoberta em profundidades do Oceano Pacífico em 21 de fevereiro de 2017
Este relatório diz que esta "criatura / dispositivo" de água-viva cósmica foi descoberta alarmantemente emanando características da "onda quântica" anteriormente desconhecidas para a ciência e que incrivelmente têm a capacidade de mudar o DNA dos seres vivos.
Embora não seja amplamente conhecido fora dos círculos de pesquisa científica, este relatório explica que, desde 2008, os cientistas descobriram que o DNA começa não como uma molécula, mas como uma forma de onda quântica - e que apenas 1 grama que pode armazenar 1.000.000.000 de terabytes de dados para 1000+ anos.

Quer saber mais? Clique aqui.


Em relação à razão pela qual estas ondas quânticas de DNA que emanam "criaturas / dispositivos" de medusas cósmicas foram "ejetadas / desdobradas" deste "Vimana", este relatório explica alarmantemente, parece ser uma missão de terraformatação da vida em mar profundo em todo o Oceano Pacífico e cujas "experiências" começaram a ser descobertas nos últimos meses em nações em toda esta região --- incluindo na Rússia onde uma misteriosa serpente como enguia e um peixe com asas foram encontradas, na Austrália, onde híbrido camarão-peixe e outras bizarras criaturas agora estão sendo encontradas, uma misteriosa besta branca cabeluda lavando em terra nas Filipinas, e um misterioso alienígena de uma criatura gigante do mar cinzento como uma gota de água em uma praia australiana apenas na semana passada.

Peixe com asas misterioso descoberto na Rússia

Misterioso camarão-peixe híbrido descoberto na Austrália

Misterioso bicho peludo branco descoberto nas Filipinas

Criatura alienígena gigante gigante misteriosa descoberta na Austrália




Segundo o relatório, alguns médicos-cientistas do MoD especulam que poderia estar relacionado com os estranhos acontecimentos dentro de nossa Terra que atualmente está experimentando um aumento chocante da atividade vulcânica a um nível nunca registrado - E que causou, no mês passado, o Ministério da Defesa a ordenar a evacuação imediata de todos os navios desta região, e como informamos em nosso artigo de 11 de fevereiro intitulado "Maior" Sentinela de Baleia "Encalhe na História Humana Impulsa a Evacuação da Marinha Russa

Encalhe em Massa baleias sendo relatados em praias de todo o mundo
Mas para a preocupação mais séria do Ministério da Defesa, e fazendo com que o presidente Putin ordene a ativação e a implantação da "bomba tzar" hoje, este relatório conclui, há novas evidências emergindo que outro massivo "Vimana" está despertando de sua hibernação sob a Antártica - e cuja energia gravitacional é tão poderosa, sua força agora está sendo estendida para mais de 300 milhas (483 quilômetros) no espaço.

Energia gravitacional maciça (vermelho) emanando do despertar "Vimana" sob a Antártida
WhatDoesItMean.Com.
https://undhorizontenews2.blogspot.com.br/